Acentuação Gráfica: antes e depois do acordo.

26/12/2018

Firmado entre Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Brasil, o novo Acordo Ortográfico trouxe algumas mudanças para as regras de acentuação.

As regras de acentuação gráfica podem ser divididas em dois grandes grupos: de um lado, o das regras gerais (centrais); de outro, o das regras especiais (periféricas).

As gerais (centrais) são as que constituem os pilares da acentuação. São elas:

Acentuam-se os oxítonos e monossílabos tônicos terminados em -a(s), -e(s), e -o(s). Ex.: cajá, café, cipó, pá, pé, pó.

Acentuam-se os oxítonos terminados em -em ou -ens. Ex.: ninguém, armazéns.

Acentuam-se todos os paroxítonos, exceto aqueles que terminam em -a(s), -e(s), -o(s) e -em(ens). Ex.: fácil, táxi, bíceps, bônus.

Acentuam-se todos os proparoxítonos, sem exceção. Ex.: lâmpada, física, matemática.

Observemos que essas regras - chamadas gerais ou centrais - não sofreram nenhum tipo de alteração. As que sofreram alterações fazem parte do grupo de normas especiais (periféricas); sendo assim vamos conhecer as regras especiais que mudaram.

REGRA ESPECIAL DO HIATO

Antes da reforma

Antes, colocava-se o acento agudo no i e no u tônicos que não formam ditongo com a vogal anterior, desde de que sozinhos na sílaba (ou acompanhados de -s) e não seguidos de l, m, n, nh, r e z. Ex.:

balaústre, saída, saúde, juiz, rainha.

Pós-reforma

Deixam de receber o referido acento o i e o u das palavras paroxítonas cujas vogais tônicas são precedidas de ditongo: feiura, feiume, boiuno.

Atenção: se oxítonas, o acento é mantido. Ex.: Piauí.

REGRA ESPECIAL DO DITONGO

Antes da reforma

Antes, acentuavam-se todos os ditongos abertos e tônicos -éi, -ói, -éu, seguidos ou não de -s. Ex.:

assembléia, idéia, jibóia, chapéu, Niterói.

Pós-reforma

Os ditongos abertos -éi, -ói, -éu deixam de ser acentuados quando a palavra é paroxítona. Ex.:

assembleia, ideia, jiboia.

REGRA ESPECIAL DOS HIATOS COM VOGAL DOBRADA

Antes da reforma

a) Utilizava-se o acento circunflexo na terceira pessoa do plural do presente do indicativo e do subjuntivo dos verbos crer, ler, ver, dar e seus derivados: crêem, lêem, vêem, dêem, relêem.

b) Utilizava-se o acento circunflexo nas paroxítonas terminadas em oo (hiato): enjôo, vôo, condôo.

Pós-reforma

a) Não mais se utiliza o acento circunflexo na terceira pessoa do plural do presente do indicativo e do subjuntivo dos verbos crer, ler, ver, dar e seus derivados: creem, leem, veem, deem, releem.

b) Não mais se utiliza o acento circunflexo nas paroxítonas terminadas em oo (hiato): enjoo, voo, condoo.

REGRA ESPECIAL DO ACENTO DIFERENCIAL

Existem três acentos diferenciais na Língua Portuguesa. São eles: timbre, número e tonicidade. Desses três, apenas um sofreu modificação com a reforma, o acento diferencial de tonicidade, os demais continuam da mesma forma. O Acordo Ortográfico acabou com os acentos diferenciais de tonicidade, exceto em relação ao verbo pôr e a forma preposicional por, sendo assim podemos afirmar que esse é o único acento diferencial de tonicidade que existe hoje na Língua Portuguesa.